segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Vida, filosofia e xadrez

A série Mr Robot continua a surpreender-me! A segunda temporada está absolutamente fantástica, muito melhor que a primeira.

Mistura-se um bom bocado de Fight Club com um pedacinho de Zeitgeist e um argumento pelos Anonymous; uma realização à David Fincher e uma edição à Quentin Tarantino, et voit la... 'Mr Robot' no seu melhor!

Ao 4º episódio da segunda temporada surge um interessante e enigmático jogo de xadrez jogado por apenas um jogador, contra si mesmo, como forma de se melhorar a si próprio.

«Leon: You know, back in the days of enlightment (Iluminismo), motherfuckers used chess as a means of self-improvement.
So what you're playng for, then? If there's no who, then what's the 'what'!? What's it for?

Elliot: Existence...

Leon: Dope! That's some high stakes right there.

          Do you dream, Elliot!? Do you want to be here right now!?
          (...) I mean here in a cosmic sense, bro.
          Like... existence could be beautiful or it could be ugly... that's on you!!

Elliot: How do I know wich one is for me?

Leon: ...dream! You gotta find out the future you're fighting for!
          If you like it, then it's beautifull... but if you don't, than you might as well fade right now!»



«Elliot: If I do close my eyes, what is it that I picture years from now?

Ray: Doesn't everyone need to understand that before they're ready to fight for their existence?

Elliot:  The world I've always wanted... and you know what!? ...I would like very much to fight for it!»

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Liberdade, igualdade e fraternidade

Em relação à cena que aconteceu numa praia francesa com uma senhora vestida de burka e três polícias facínoras, só tenho isto a dizer...

Acho que a única coisa que alguém pode ser obrigado a despir é um colete de barras de dinamite e a única coisa que alguém devia ser obrigado a vestir seria fatos-de-macaco com os labels das empresas e lobbies que representam, para todos os políticos e governantes. De resto, penso que cada um deve andar como quer e bem lhe apetece!!

Vivam os Estados laicos! Oui, oui!

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Filmes, toques e telemóvel

A série Aquarius está muito bem esgalhada. Bem escrita, com bons actores e muito bem realizada. Os cenários e ambiente dos 60's está fantástico. Só tem um problema... passo o tempo todo de cada episódio de 45m a julgar que o meu telemóvel está a tocar!

Ontem vi o filme The Nice Guys, passado na década de '70, e no que diz respeito à realização... absolutamente soberba! A história convence, os actores estão excelentes e é uma macacada constante. Fartei-me de rir!! ...e de vez em quando lá julgava que o meu telemóvel estava a tocar!

Outro filme que me deixa ansioso com a porcaria do toque to telemóvel é o Matrix (todos os três).

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Perspectivas, fotografias e viagens no tempo

«...a relentless collector of magical moments» - Stephen Wilkes

Este fotógrafo, como tão bem explica nesta TED Talk, consegue captar espaço e tempo numa observação privilegiada sobre paisagens, locais, animais, pessoas e atitudes, transformando uma fotografia numa verdadeira viagem no tempo, bem mais abrangente que qualquer fotografia já o era até aqui.

O resultado, o processo e a forma apaixonada como aborda o seu trabalho, é algo absolutamente fantástico!!

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Bourne, licores e manifs

Ontem, ao ver o novo filme do Bourne, lembrei-me desta...

Um tipo com um cocktail molotov de Licor Beirão vai para a manif e grita:
"o que é que se explode aqui!?"