domingo, 5 de novembro de 2017

Novembro, lembrança e pólvora

"Remember, remember, the 5th of November
The gunpowder, treason and plot.
I know of no reason, why the gunpowder treason
Should ever be forgot."

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Muro, loira e banda sonora manhosa

Estou a ver o filme Atomic Blonde e esta banda sonora é manhosa a olho... a roçar o insuportável! 

Bem, se isto é cíclico, estou em pulgas para que chegue a vez dos anos '60, pois já não suporto esta onda de '80 que para aí anda nos últimos tempos. E até tive obrigatoriamente de passar por eles uma vez, que já era sofrimento suficiente para o tempo de uma vida!

Juro que não percebo esta onda de revivalismo com uma das épocas mais nefastas para a humanidade. Só comparável com a Idade Média e o Santo Ofício.

Chiça!!

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Bananas, toalhas turcas e o sentido da vida

Apercebi-me que as toalhas turcas e as bananas têm muito em comum...

As bananas têm um prazo de validade muito curto. Normalmente escolhem-se verdes, na altura do empregado da caixa as passar no leitor de código de barras já estão quase maduras e quando as colocamos na fruteira já começam a aparecer algumas manchas, mas nessa altura não apetece comê-las, muito menos as cinco que trouxemos para casa. Quando queremos uma para cortar às fatias para o iogurte do pequeno-almoço da manhã seguinte já ficam 4 com um ar manhoso e dois dias depois, já quase só se aproveitam três para batidos! E as toalhas turcas são mais ou menos a mesma moenga! Têm um período de vida óptimo muito curto, porque novas espalham mais água do que a limpam, o que no verão até nem custa muito mas no inverno é assim a atirar para o execrável, e quando estão quase a ficar no ponto e já foram lavadas sei lá quantas centenas de vezes, começam a ficar russas e a aparecerem buracos!

Algo me diz que o sentido da vida passará pelo momento certo de comer uma bela banana e o enxugamento oportuno, após um duche, com uma belíssima toalha turca.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Publicidade, rádio e foleirada

Pensei afincadamente durante mais de 10m e não consigo conceber um reclame de rádio mais foleiro que o da Matrizauto de Viseu.

Epá, mas quem foi o totó que concebeu aquilo!? E terá sido ideia de uns cromos da publicidade, de alguma rádio local ou imposição de um idiota da própria empresa de automóveis, achando que aquilo é que é "A cena!"?

Oh cum'caraças!!

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Cavaco, templo e marquise

..tu queres ver que o genro do Cavaco comprou o Templo Romano em Évora e vão montar uma marquise!?!?

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Tiros e bombas e socos nas trombas

The Hitman's Bodyguard

Para quem gosta de um bom filme de acção, com uma história credível, cenas de perseguição, tiros e pancadaria excepcionalmente bem conseguidas - ao nível de um Bond com o Daniel Craig, TakenBourne ou John Wick - com uma belíssima banda sonora e actores escolhidos a dedo, este é um must see:


O humor é fantástico - a começar logo no trailer que parodia o filme The Bodyguard com o Kevin Costner e a Whitney Houston da década de '90 - os diálogos interessantes, os actores estão muito bem nos papéis e com grande química entre eles - excepto o Joaquim de Almeida, que volta a fazer dele próprio a fazer de polícia - e o filme resulta muito bem. Fartei-me de rir e fiquei muito bem impressionado com as cenas de acção!!



Dentro deste género, estreou em Agosto outro filme que também promete: Baby Driver

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Road songs, arrepios e três marias

É difícil descrever o que sinto a ouvir esta música. As memórias e as vontades futuras...

Típica Road Song americana que tem muito de Eagles, Skynyrd e até Dire Straits. É daquelas músicas que dão alcance à vista e uma súbita latitude à alma. Uma espécie de abraço instantâneo e surpreendente, que nos remete para coisas boas que arrepiam e nos levam para "sítios" bons. Como se estivessemos a rolar pela Route 66 ou parqueados frente à vastidão do Grand Canyon... mas também podia ser a estrada entre Beja e Ourique ou com o chaço parado frente aos Alteirinhos ou às Três 'Marias'.

A música... algumas músicas... arrepiam-nos de dentro para fora e preenchem-nos os espaços que guardamos para as memórias e os desejos.

domingo, 16 de julho de 2017

Senhor de Nada, uma série sobre tudo e boas surpresas


Adoro séries e sitcoms. Ando numa busca constante por novas séries, principalmente as que me conseguem ainda surpreender.

No cinema é bem mais difícil hoje em dia, mas o mundo da televisão está ao rubro, a fervilhar de criatividade e repleta de excelentes actores, realizadores e argumentistas. Muita gente prefere trabalhar no pequeno ecrã e isso nota-se.

As últimas séries que me surpreenderam, deixaram-me mesmo ko de um dia para o outro, sendo que por vezes vejo 3 ou 4 episódios de seguida; como BansheeMaster of None, mas é sobre esta última que me apraz falar e publicitar, pois vale bem a pena conhecer...

Master of None é uma série tipo Seinfeld (como acho que até o próprio nome indica) em esteróides, com umas pitadas de Woody Allen e Steven Sodderbergh. Aziz Ansari escreve o argumento (juntamente com Alan Yang), entra como protagonista, produz e ainda realiza alguns episódios.

A série é excelente, visualmente brilhante, com um argumento inteligente e cheio de assuntos pertinentes. E ainda que passe por algo meio descomprometido e arejado, entretém e cada episódio deixa-me a reflectir sobre uma série de questões interessantes.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Religião, ficção e livrarias

Para mim, a questão da religião resume-se a um ponto apenas:

- quando se faz qualquer coisa por receio ou por incentivos (morais), não se vive a plenitude do que mais nos caracteriza como seres humanos: o livre arbítrio!

É preciso ter nobreza de carácter, edificação Ética, elevação de espírito e determinação humana para se procurar viver bem e fazer o bem apenas e só porque se quer ser um ser humano decente. Sim, há muito de egoísta nesta postura porque há uma boa dose de gozo (fruição) em ter paz de espírito e ser-se feliz, certo!? Então qual é o problema de ser-se egoísta de forma saudável, sem atropelar a liberdade dos outros? ...até dos outros que são idiotas, cobardes ou genuinamente bem intencionados, embora mal orientados, que têm fé e acreditam em personagens de ficção.

Quando encaixei completamente esta esta ideia, traduziu-se numa postura de deixar de gozar com as religiões; e com quem acredita, os mais desenvoltos e desempoeirados - coisa rara - apenas gosto de investir em conversas construtivas e interessantes... mas não na internet! (Oops!!)


quarta-feira, 28 de junho de 2017

Fogos, matas e festança rija

Festarolas, cantoria, juntar comida, água e dinheiro para ajudar as vítimas é óptimo, mas ninguém se levanta do sofá senão para ir curtir ao Pavilhão do Cavaco. Já ir para as matas limpar o lixo ou plantar árvores nas áreas afectadas, tá quieto!

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Trump, scooter e pornografia

Andava eu à procura de torrents do House of Cards (se bem que neste contexto político, séries como House of Cards e Veep perderam a piada, porque a realidade é bem mais cómica e interessante de seguir), quando me deparo com um filme pornográfico (aqui nem precisava justificar, porque confesso apreciar pornografia de qualidade!) que tem Jazz como banda sonora, bom som ambiente, iluminação interior, enquadramentos, qualidade de imagem em alta definição, boas interpretações dos actores (!!), história e maquilhagem decente... é que até o genérico está artístico e bem feito, espera lá!!

O rapaz teve um pequeno acidente de scooter, deixou cair as compras e até perdeu o capacete; chega a casa com a motoreta pela mão, calças coçadas, t-shirt rasgada e algumas escoriações e a rapariga, delicada que é, decide tratar dos ferimentos com um unguento especial e, claro está, sexo oral à maneira! Opá, está muito bem esgalhado, pois está!

Agora que isto estava a ficar interessante, o sacana do Trump decide mandar tudo abaixo e dar cabo do planeta!!


link: https://rarbg.bypassed.gold/torrent/9ur7lc5

domingo, 14 de maio de 2017

Eurovisão, Salvador e música a sério

Como músico e compositor fico extremamente contente com a vitória dos manos Sobral no Festival Eurovisão da Canção.

Sou pouco dado a música a metro e a pimbalhada, embora não me ofenda com isso, porque há espaço para todos, mas é tão reconfortante saber que um tema tão rico, tão bem escrito, composto e arranjado e tão fantasticamente interpretado - num embalo quente, com momentos de voz meiga e sussurrada, contrastando com a força bruta e o volume exagerado da 'pastilha semsaborona' que são os temas Pop-plástico típicos da música 'fast food' - consegue reunir consenso e mobilizar tanta gente.

Em cima disto tudo, está a imagem de um miúdo preocupado com questões humanas e cívicas, que se interessa pelos seus pares e por promover mudanças que vêm para melhorar o que está gasto ou estragado... é um absoluto regalo. O Salvador é um curtido!

Não sei o que vem depois disto nem o que trará de bom para a Europa e Portugal, mas hoje o sentimento é óptimo e recomenda-se.

Parabéns Salvador!!

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Pormenores, fechos e botões

Há um pequeno pormenor a meu respeito que me irrita e ao mesmo tempo me deixa absoluta e incomparavelmente intrigado. É uma das idiossincrasias que, não me definindo como pessoa ou ser humano, caracterizam e marcam alguns momentos, normal e oportunamente em contextos que me deixam meio aturdido e sem jeito, ainda que e apesar de tudo, pouco ou nada surpreendido.

Vá-se lá saber porquê - e já reflecti sobre esta questão inúmeras vezes e ao longo de incansáveis horas - mas sempre que uso calças de fecho é comum e normal sair de casa de braguilha aberta. Mas o mesmo já não acontece com calças de botões! Porquê!? Não faço a mais pequena ideia, mas é assim e é coisa que acontece já há bastante tempo.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Cinema, thrillers e boas surpresas

Há filmes que são só filmes, outros que são bons filmes, alguns deles puras entretengas e até há mau cinema... mas depois há filmes que são verdadeiras experiências cinematográficas!

Ultimamente tenho sido positivamente surpreendido com belíssimos filmes e o que vi hoje fez mossa. e vai deixar marcas. Tanto que tive de ver uma comédia logo a seguir, para acalmar.

Split é um fantástico thriller, muito bem escrito, magistralmente bem realizado e excepcionalmente bem interpretado por James McAvoy, que oscila incessantemente entre várias das 24 personalidades que habitam uma mesma pessoa... muito, muito bem conduzido pelo actor e pelo realizador M. Knight Shyamalan. Fantástico!!

Deixo outros filmes que são verdadeiras referências como thrillers das últimas décadas: Predestination, MementoThe Revenant, Birdman, Drive, Gravity, Shutter Island, The Ring, The Sixth Sense, Seven, The Usual Suspects.

terça-feira, 25 de abril de 2017